domingo, 7 de maio de 2017

Edil de Nampula exonera vereadores

Vive-se um ambiente de tensão no Conselho Municipal da Cidade de Nampula (CMCN) devido à demissão de vereadores, alguns dos quais do partido Movimento Democrático de Moçambique (MDM) e nomeados quando o presidente Mahamudo Amurane assumiu o poder. Justifica-se a medida com a necessidade de dar prosseguimento às reformas em curso na edilidade e preparação das próximas eleições.

António Gonçalves, presidente da Comissão Política do MDM em Nampula, foi um dos alvos da vassourada de Mahamudo Amurane. Ele respondia pelo pelouro de Administração e Finanças e chegou a ser indicado presidente do Conselho de Administração da Empresa Municipal de Saneamento de Nampula (EMUSANA).

Maria Madalena, que ocupou os cargos de chefe do posto administrativo e municipal de Muatala e fez parte do secretariado executivo do gabinete do edil, foi “rebaixada” e colocada como motorista do chefe do posto administrativo de Natikiri, Aiuba Nacogeria. Este já desempenhou as funções de chefe do posto administrativo municipal de Muhala.

Outras figuras consideradas "pesos pesados" do MDM, ora exonerados, são os vereadores dos pelouros de Transportes, Comunicação e Trânsito, Salubridade, Higiene e Gestão Funerária e os chefes dos postos de Napipine.

Falando recentemente, na tomada posse de Judite Telma Magaia e Idalina Muivai, para os cargos de chefes dos postos administrativos de Napipine e Muhala, Mahamudo Amurane disse que a escolha foi consensual depois da auscultação feita internamente.

Charamadane Rachid e Aly Alberto, militantes do partido Frelimo, foram indicados para as vereações dos Transportes, Comunicação e Trânsito e Salubridade Higiene e Gestão Funerária.

"Mesmo sem o MDM ou outras forças políticas estarei na política, até os próximos 50 anos", disse o edil de Nampula, assumindo claramente o "divórcio" entre si e o partido que o conduziu à presidência do município de Nampula.

O @Verdade apurou igualmente que alguns funcionários, sobretudo os que assumem cargos de chefia, tem vindo a renunciar a militância no MDM devido à crise interna que esta formação política atravessar nos últimos tempos.

Reagindo às declarações de Mahamudo Amurane, o delegado político do MDM na cidade de Nampula, Luciano Tarieque, considerou que revela a democracia interna do partido. “Nós defendemos a inclusão social e não nos opomos quanto às exonerações dos nossos militantes do município. Em substituição, o edil indicou pessoas da sua confiança", disse.

O político desmentiu que o MDM esteja a viver momentos de crise, o que se pretende é supostamente desviar as atenções do partido na preparação das próximas eleições.



via @Verdade - Últimas http://ift.tt/2qfYuzi

Related Posts by Categories



0 comments:

Enviar um comentário