quinta-feira, 22 de junho de 2017

Inaugurada embarcação que vai conferir maior fiabilidade ao mapeamento e levantamento ...

Foto de Fim de SemanaO Instituto Nacional de Hidrografia e Navegação (INAHINA) conta, desde a quinta-feira, 21 de Junho, com uma embarcação hidrográfica, equipada com sistema de sondagem multi-feixe, tecnologia de ponta usada na área.

Orçada em 34 milhões de meticais, a embarcação, a primeira do género no País, vai conferir maior qualidade ao trabalho do INAHINA, assim como aos dados hidrográficos produzidos, devido à tecnologia instalada.

Igualmente, a embarcação vai concorrer para a redução do tempo de sondagem, dada a maior cobertura da área sondada e menor tempo de permanência no mar, o que irá, por sua vez, significar a diminuição dos custos de produção dos dados hidrográficos.

A inauguração deste meio, cuja cerimónia foi presidida pelo ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, esteve inserida nas celebrações do Dia Mundial da Hidrografia, que se assinala a 21 de Junho.

Na ocasião, Carlos Mesquita explicou que a aquisição da embarcação faz parte das acções do Governo com vista a responder aos desafios impostos pela exploração do potencial marítimo de que Moçambique dispõe, nomeadamente o mapeamento e levantamento hidrográficos.

“A localização geoestratégica de Moçambique confere-nos responsabilidades acrescidas no que diz respeito à dinamização do transporte marítimo regional e mundial, sendo, por isso, importante o desenvolvimento da hidrografia no País”, considerou Carlos Mesquita.

Ao INAHINA, o governante deixou o desafio de prosseguir com o trabalho de mapeamento das características da costa e águas moçambicanas, de que depende o sucesso de muitas acções do Governo, dentre os quais a revitalização da cabotagem marítima, que tem como objectivo diversificar as modalidades e reduzir os custos de transporte de mercadorias no País.

“O alcance deste objectivo, particularmente nos portos terciários, passa por um trabalho de levantamentos hidrográficos e actualização da sinalização e produção dos respectivos documentos de navegação”, acrescentou o ministro dos Transportes e Comunicações.

Ainda na quinta-feira, Carlos Mesquita efectuou uma visita às empresas municipais de transporte público das cidades de Maputo e da Matola para se inteirar da implementação do plano de recuperação de autocarros paralisados por falta de baterias e pneus.

Na cidade de Maputo, foram recuperados e postos em circulação 33 autocarros, sendo 19 com o apoio das empresas Companhia de Desenvolvimento do Porto de Maputo (MPDC) e Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM) e ainda 14 do Fundo de Desenvolvimento dos Transportes e Comunicações (FTC).

Já na Matola, a MPDC e o CFM foram responsáveis pela recuperação de oito unidades e o FTC de duas, encontrando-se todas elas em circulação.

Entretanto, a Empresa de Transportes da Matola recebeu, em Fevereiro último, oito novos autocarros que se encontram parqueados por não estarem de acordo com as características definidas no caderno de encargos.

Os autocarros, que fazem parte de um lote de 10, só possuem uma porta, contra duas, uma para o acesso e outra para saída, para além de terem um corredor estreito e estarem equipados com assentos para transporte de longo curso.



via @Verdade - Últimas http://ift.tt/2sHFZ5o

Related Posts by Categories



0 comments:

Enviar um comentário